Macarons: História e Dicas





Macarons... hmmm! Quem nunca provou, precisa experimentar! Um doce delicado e de sabor incrível!

A Cake Designer Sandra Dias compartilha seu conhecimento contando a história do macaron e dando dicas valiosas para o preparo! Confira:




"Quem ainda não se encantou com as cores e sabores do macaron? A iguaria nasceu na Itália, evoluiu na França e chegou às confeitarias e casamentos do Brasil inteiro. O que poucos sabem é que esse doce multicolorido tem origem no século XVI, na corte de uma jovem rainha, e que, apesar de toda nobreza e mistério por traz da receita original, no início ele era bem mais modesto e discreto que hoje, sendo apenas um simples biscoito.

Origem nobre do macaron 




Em 1533, a nobre italiana Catarina de Médici (1519-1589), então com 14 anos de idade, casou-se com o rei Henrique II de França (1519-1559) e mudou-se para o país do marido, levando consigo a receita de seu doce favorito, uma espécie de biscoito feita com merengue de amêndoas. O macaron (lê-se Macarrôn), na época conhecido apenas como Doce da Rainha, era restrito aos nobres da corte. Os confeiteiros de Catarina mantinham a receita em segredo. O nome veio de “maccherone” (macarrão, em italiano) que designava massa fina.

No século XVI a receita dos finos biscoitos caiu nas mãos de freiras Carmelitas, que passaram a produzir e vender os doces. Duas freiras da cidade de Nancy, remanescentes dessa ordem, recriaram a receita no século XVIII, durante a revolução francesa. Elas ficaram conhecidas como “Souers Macaron“ (Irmãs Macaron). Mas foi no século XX que o doce tomou a forma de “biscoito recheado”, um pouco mais parecida com a que conhecemos hoje.




Em 1930, Pierre Desfontaines descobriu a receita das freiras, fez algumas modificações, uniu dois daqueles biscoitos de merengue de amêndoas com ganache de chocolate, criando o macaron de dois andares recheado. Pierre passou a vender o doce na confeitaria Ladurée, fundada em Paris, em 1862, por seu avô Louis Ernest Ladurée. Atualmente, a famosa confeitaria francesa vende cerca de 15 mil macarons por dia! Não dá para visitar a Cidade Luz sem comer um desses macarons clássicos. Para se ter uma idéia, eles são tão importantes por lá, que existe um Museu de Macaron na cidade de Montmorillon, o “Musée de L’Amande et du Macaron! Macaron na França é como o brigadeiro aqui, indispensável!!! rsrsrs




Mas, mesmo sendo considerados os melhores fabricantes de Macarons do mundo, eles admitem: “é necessário ter mãos de artesão, paciência de monge e disciplina militar, porque se trata de um doce muito “temperamental“

Mas quem deu vida nova aos macarons da Ladurée, produzindo o doce com cores vivas e sabores os mais variados, foi o doceiro francês Pierre Hermé. A inovação tornou sua doceria famosa em todo o mundo. Pierre manteve a base da receita, formato e textura originais (crocante por fora, macio e úmido por dentro), e acrescentou novos sabores à massa e ao recheio, além do colorido que encanta a todos. Hoje em dia, o macaron é um doce quase obrigatório no buffet do casamento, inclusive disputando atenção dos convidados com o tradicional bem-casado.

Dicas importantes

Existem várias formas de preparar macaron e incontáveis opções de recheio. Há receitas que utilizam merengue suíço, outras o merengue italiano, e até receitas que misturam os ingredientes direto numa simples clara em neve!

Inclusive, até alguns anos atrás, dizia-se que só era possível assá-los corretamente em forno industrial com convecção (aquele “ventilador” dentro do forno), mas hoje já se descobriu uma maneira de assá-los em forno convencional à gás (sabe aquele fogão comum que você tem casa? É dele mesmo que estou falando), e obter macarons perfeitos nele também!

Segundo o pâtissier francês Fabrice Le Nud, que se declara pioneiro na produção do doce em São Paulo/Brasil (Pàtisserie Douce France), independentemente dos sabores escolhidos, todos reconhecem que se trata de um doce difícil de preparar. "É importante trabalhar com ingredientes de primeira. Usar farinha de castanha de caju, como fazem alguns, é falsidade ideológica", afirma Le Nud.

Bom, acho que a própria história do macaron confirma isso, não?

Agora que nós sabemos a origem e história deste doce centenário, e como a maioria já deve saber (ou ter sofrido na pele) que ele não é um doce fácil e simples de preparar, não fiquem bravos por uma receita não ser compartilhada aqui, pois para fazê-lo com perfeição, o ideal (e para não sofrer, ganhando frustração e perdendo ingredientes) é procurar um profissional especializado, que vai ensiná-lo na prática, orientando-o a cada passo do processo. Pois a receita em si, costuma ser curta e simples (farinha de amêndoas, clara de ovo e açúcar - mistura, pinga e assa), mas os “pulos do gato” são uma lista imensa !!! E se você não viu “ao vivo” o preparo, não sentiu a textura da massa, não sabe quando parar de mexer, e etc .... Você vai acabar fazendo uma deliciosa farofa de amêndoas para colocar em cima do sorvete! Mas, não um macaron .... rsrsrs

O macaron é um dos doces que mais demanda cuidado e precisão, não apenas no equilíbrio perfeito dos ingredientes da receita, mas principalmente no seu preparo. Confeitaria é um conjunto de química e matemática! Não se pode retirar um ingrediente da receita, ou mudar suas medidas aleatoriamente, pois isso altera o resultado, que além de não alcançar o objetivo principal, não tem como consertar no meio do caminho, pois se deu errado, tem que fazer outro!




Então, vou dar algumas dicas que podem ser valiosas para aqueles que já tentaram e não conseguiram produzir este doce tão “manhoso”, e que valem para qualquer receita e/ou método de preparo que for utilizado:

Pesagem: pesar corretamente todos os ingredientes da receita é fundamental.

Farinha de amêndoas fina: quanto mais grossa for a sua granulação, menos liso o macaron ficará, e vai ter aquela aparência “granulada” no topo. Portanto, uma farinha de amêndoas de boa qualidade, é essencial para o resultado visual do macaron.

Não conserve a farinha de amêndoas na geladeira, apenas em local seco e arejado, se ela receber umidade, não serve mais para fazer o macaron.

Clara de ovo: ela é proteína pura! Mas, também possui parte de água. Já reparou que quando você quebra um ovo tem uma parte dele que é bem líquida? Isso é água. Se você “envelhecer” esta clara de ovo, vai melhorar a qualidade dela para fazer o macaron.

Faça o seguinte: separe a clara, da gema do ovo, e se a gema quebrar, não utilize esta clara, pois uma única gota da gordura da gema pode fazer a receita desandar. Reserve as claras em um pote fechado e perfeitamente limpo (não pode ter resíduo de gordura de nenhum outro ingrediente/alimento - o mesmo vale para os utensílios usados no preparo do macaron! Tigelas, espátulas e etc). E guarde na geladeira por pelo menos 3 dias antes de usá-las para fazer macaron.

Então, este processo é o que chamamos de “envelhecer” as claras, fazendo-as evaporar sua parte de água, e portanto, não use claras que foram congeladas! O congelamento adiciona mais água, e não é isso que você precisa, né?

Corantes: dê preferência aos corantes em pó hidrossolúveis. Os corantes em gel (aqueles usados para tingir a pasta americana, por exemplo), são à base de glucose de milho e vão dar muita umidade à massa, e se adicionado em excesso, vai desandar a receita, e “adeus” macaron! Além disso, o corante em gel vai deixar o macaron com uma cor mais opaca, enquanto o corante em pó dará uma cor mais vibrante, ainda que você faça o macaron em tom de cor pastel.

Folha anti aderente: uma das melhores opções, e mais baratas para assar o macaron, são as folhas de TEFLON. O nosso papel manteiga não é anti aderente como o “parchment paper” facilmente encontrado nos supermercados americanos por exemplo, e por isso você corre o risco de quebrar o macaron quando for desenformá-lo, se usar papel manteiga. Além disso, a folha de teflon é reutilizável, mas aconselho a reservá-la para o uso exclusivo do macaron. Lembra que gordura nos utensílios é a morte do macaron?

Macaronagem: Não mexa a massa com excesso de força! Se você trabalhar demais a gordura da amêndoa, ela vai deixar o macaron manchado com a gordura que foi liberada, e com a famosa textura “puxa-puxa”. Então, carinho e delicadeza quando for mexer a massa.

Boa macaronagem à todos!

Sandra Dias"

Pudim com ou sem furinhos? Você escolhe!

No post de ontem o Chefe Confeiteiro Flavio Federico nos ensinou muito sobre pudins e flans.

Além de de muitas curiosidades, compartilhou uma receita super especial de Pudim de Leite e contou que prefere o dele sem furinhos. Só que uma dúvida ficou no ar: como controlar se o pudim terá ou não estes furinhos?






Pois é, tem o time dos "com furinhos" e os do "sem furinhos" e normalmente quem faz fica na torcida mesmo, pois só sabe se o pudim ficou furadinho ou não na hora de desenformar! A boa notícia é que o Chefe nos contou como controlar e porque isso acontece, veja só:

"Muita gente pergunta como fazer um pudim super liso e sem furinhos. Essa é uma matéria controversa do ponto de vista de gosto pessoal, mas temos que lembrar que com ou sem furinhos, existe uma técnica para cada resultado.

Como a proteína das gemas coagula a 85C e das claras por volta de 70ºC, caso queira um pudim sem os furinhos, a agua do banho maria jamais poderá passar desses 85ºC. Se isso não for respeitado a aglutinação da proteína forma os furinhos, deixando a textura menos sedosa. Ocorre também que nos espaços sem proteína o pudim fica mais aguado e mais propenso a rachar.

Da mesma forma, se a temperatura for bem equilibrada, o pudim ficara liso, sedoso e desmanchando na boca.

Logo; se a agua ferver, você terá furinhos!

Seja qual for a sua preferência, faça com carinho e amor, pois pudins são sempre dignos de alegria em qualquer mesa.

Bom divertimento"

Ai está a explicação! Agora escolha o que você mais gosta e faça o seu pudim perfeito!

Pudim x Flan - Você sabe a diferença?


Pudim e Flan são uma delícia, não são? Comer, todo mundo sabe, mas você sabe qual a diferença entre estes dois doces maravilhosos?

O fantástico Flavio Federico nos conta! Conheça a história, similaridades e diferenças destas duas sobremesas e ainda confira a receita de Pudim de Leite que o Chefe Confeiteiro compartilhou com a gente!

Ah, e não deixe de seguir a Academia da Confeitaria Flavio Federico no Facebook e Instagram.

Então vamos lá!

PUDIM


Os portugueses já se consideraram os pais do pudim de leite. Achavam que a sobremesa descendia da doçaria conventual desenvolvida no país a partir do século 16, com as gemas que sobravam do uso das claras para clarificar o vinho e para engomar os hábitos das freiras.

Conta a história que a sobremesa foi inventada por um abade português que escondia a sete chaves a receita. Em certo momento e, devido ao sucesso do doce, ele fez uma competição para ver se algum confeiteiro conseguia preparar um pudim igual ao dele. Como ninguém conseguiu, sua receita se manteve um mistério até a sua morte. Logo após, seu caderno desapareceu e o segredo veio a tona. Era preparado com açúcar, gemas, água e toucinho de porco. Na época era chamado de Pudim de Priscos.

Hoje, confessam ignorar quando e onde o doce surgiu. “Descobrimos que não conseguimos fixar no tempo nem no lugar o aparecimento do pudim de leite”. A única convicção dos portugueses é a de que eles ensinaram os brasileiros a fazer o doce.

A palavra pudim veio do inglês pudding, que para o Inglês, em se tratando de doces, quer dizer “sobremesa”. Diferente do americano que chama de “Dessert”. Em Portugal e no Brasil indica uma preparação de consistência cremosa, feita em banho-maria.  Podendo ser doce ou salgada.

O mais elegante do clã dos pudins foi lançado em 1947 pela confeiteira do restaurante Cozinha Velha, que funciona no antigo Palácio de Queluz, perto de Lisboa, onde nasceu e morreu nosso imperador d. Pedro I. Chama-se pudim marfim e na sua elaboração dois litros de leite são levados ao fogo para reduzir pela metade, com meio quilo de açúcar e uma fava de baunilha; quando a mistura esfria, juntam-se 14 gemas e se cozinha lentamente em banho-maria; serve-se coberto por açúcar queimado com ferro quente ou maçarico; acompanham fios de ovos.

No Brasil, O Cozinheiro Imperial, de 1840, primeiro livro de cozinha editado no País, trouxe uma receita de pudim de nata. Mas o doce que hoje preparamos é sobretudo elaborado com leite condensado no lugar do leite cozido com açúcar.


FLAN


Enquanto muitos consideram o Flan uma sobremesa latino-americana, as primeiras receitas, na verdade, vêm da Roma Antiga, quase dois mil anos atrás.

Os romanos foram os primeiros a domesticar galinhas, e precisavam inventar maneiras de usar os excedentes de ovo. Tomando emprestado um pouco da sabedoria de seus vizinhos gregos em cozinha, eles criaram novas receitas à base de ovos, incluindo o Flan ou Flado, que significa "bolo liso" em latim.

Os romanos muitas vezes serviam Flan com prato salgado; uma delicadeza particular era o Flan de Enguia, que foi considerado alimento bom para a saúde e acreditava-se que aliviava o peito, ajudava os rins, o fígado, aumentava a fertilidade e reduzia as infecções do trato urinário.

Os romanos compartilharam suas receitas de Flan quando conquistaram a Europa. Embora o Império Romano tenha caído em 476, o Flan sobreviveu. Durante todo o Império Medieval (Século 5º ao 15º), a receita foi adaptada e versões mais doces surgiram.

Foram os espanhóis que primeiro cobriram o Flan com calda de caramelo quando, em 1500, chegaram ao México.

Os mexicanos levaram o Flan para um novo nível com a criação de versões aromatizadas de café, chocolate. As receitas foram se espalhando por toda a América Latina e muitas famílias têm a sua própria versão original. Hoje, existem flans de todos os sabores, mas o de baunilha ainda é o mais clássico e mais preparado.

Existe uma “variação” muito famosa do Flan na Espanha conhecido com Tocino Del cielo. Este não leva leite e sim água na composição. A cremosidade vem dos ovos e gemas e um sabor peculiar é da farinha de amêndoas torradas misturadas à massa, que depois é assada em banho Maria em uma forma caramelada.


CONCLUSÃO

No fundo os dois são muito parecidos e as historias se misturam no tempo.

Na minha visão os dois são irmãos que foram separados na maternidade e criados por famílias diferentes, crescendo assim com características um pouco diferentes.


DIFERENÇAS BÁSICAS ENTRE PUDIM E FLAN

Pudim - Para o brasileiro que cozinha e come, pudim SEMPRE tem leite condensado e pode ter só gemas, só ovos ou uma combinação deles. NÃO tem essência de baunilha e é assado em forma caramelada com furo no meio. Culturalmente existe com e sem furinhos. Minha preferência é para os sem furinhos.

Flan - Aqui a coisa fica mais confusa, pois na maioria dos casos é uma receita praticamente igual a do pudim só que NÃO tem leite condensado, TEM essência de baunilha e usa apenas ovos e não gemas. Esse NUNCA tem furinhos e é assado da mesma maneira que o pudim, só que mundialmente é assado em forma SEM furo no meio.

Esta receita é uma receita européia que pode ser chamada de Creme Caramel na França e Reino unido e de Flan mesmo na Espanha. No México também existe esta receita feita com baunilha em favas no Festival da baunilha de Papantla em Veracurz.

A confusão aparece quando a DANONE, NESTLÉ, VIGOR etc, lançam no mercado os FLANS de copinho na geladeira do supermercado. Tem até FLAN de leite moça®. Porém, isso tudo, nada mais é do que uma forma industrializada de fazer um produto, de maneira mais fácil e colocar a venda, sem confundir o consumidor, pois se estivesse escrito PUDIM, deveria ser assado e aí o consumidor poderia cair matando nas empresas.

No livro de receitas “o doce brasileiro” da Nestlé, FLAN é, na verdade, uma espécie de manjar feito com gelatina e nunca tem ovos. Ele é uma gelatina com leite condensado, sucos de frutas ou leite de coco, que para nós pode também ser chamado de MANJAR.

Para mim é apenas uma questão de nomenclatura e acredito que sejam:

Pudim – preparação  com leite condensado e gemas, ovos ou uma combinação dos dois, em forma caramelada e assado em banho Maria para ser desenformado

Flan – preparação de leite com açúcar, baunilha e ovos, em forma caramelada e assado em banho Maria para ser desenformado

Manjar – preparação de leite, com gelatina, sem ovos e com sabores diversos, não assado e moldado em forma para ser desenformado. Pode ou não ter calda por cima.





Vamos para a receita do pudim de leite?

Rendimento: 1 forma de 20cm


Caramelo




Ingredientes

- 200g de açúcar refinado (1 xícara cheia)
- 60ml de água quente (1/4 de xícara)



Modo de preparo

1.    Faça um caramelo a seco com o açúcar;
2.    Deglace com a água quente e misture até dissolver os grumos
3.    Deixe esfriar um pouco e coloque na forma, girando para cobrir o interior por completo.

Pudim

Ingredientes

- 400g de leite condensado (1 lata)
- 600ml de leite integral (2 medidas da lata de leite condensado)
- 120g de gemas (6 unidades médias)
- 50g de ovos (1 unidade média)



Modo de preparo

1.    Pré aqueça o forno a 175ºC;
2.    Bata, rapidamente, todos os ingredientes no liquidificador ou com um batedor de arame (fouet);
3.    Coloque na forma caramelada, cubra com papel alumínio e leve ao forno em banho Maria (com água quente até a metade) por aproximadamente 90 minutos;
4.    Deixe esfriar por pelo menos 6 horas ou por uma noite antes de desenformar.

Formas com Fundo Removível e Desmontáveis para Bolos e Tortas

Quem nunca sofreu para desenformar uma bolo, uma torta ou uma quiche sem quebrar? É aquele história, abrimos o forno, o resultado está lindo, o bolo maravilhoso, tudo perfeito! Agora só falta tirar da forma e passar para o prato, e ai...

É para fazer está árdua tarefa muito mais fácil que existem as formas e assadeiras com fundo removível e as desmontáveis.

Nas de fundo removível, também conhecidas como assadeiras de fundo falso, você tira o bolo (ou torta) da forma com a sabe da assadeira como suporte, facilitando muito o processo. O fundo é solto da forma e você consegue remove-lo sem grandes dificuldades. Depois pode usar o fundo da forma como base para servir ou passar o bolo deste fundo para o prato que irá utilizar. É muito mais fácil do que tirar o bolo inteiro da forma!





Para os casos em que as laterais ficam um pouco mais grudadas na assadeira, ou que o produto é ainda mais delicado, você pode utilizar as formas desmontáveis. Nestes modelos, além do fundo ser solto, a lateral da forma tem um fecho que, ao ser aberto, faz com que a forma se expanda, soltando as laterais. É uma facilidade impressionante!





Em nossa loja nós temos uma enorme variedade de tamanhos para as formas de fundo falso e desmontáveis, não deixe de conferir!

Ovo de Colher: Como Fazer, Formas, Caixas e Mais

Os Ovos de Colher são um tendência cada vez mais forte na Páscoa. É uma forma diferente de presentar com os tradicionais Ovos de Chocolate.

Se você não conhece este tipo de Ovo, segue uma breve explicação: somente uma das cascas do Ovo de Páscoa, com um farto recheio para ser comido de colher. O recheio pode ser o que você imaginar: ganache, brigadeiro, marshmallow, trufa, M&M, doce de leite, bolo... enfim, são muitas as opções.

O mais comum é colocar este Ovo em uma caixa própria para Ovo de Colher. São caixas que tem um encaixe para a casca, espaço para você colocar uma colher (opcional) e um visor para valorizar o Ovo.



Em nossa loja você encontra tudo que precisa: formas de chocolate para Ovo de Páscoa, caixas para ovo de colher e colheres, além de fitas e adesivos para decorar a caixa.

Agora, aproveite para ver esta sensacional aula de Ovo de Colher, da Carole Crema oferecida pela TVIG e aprenda a temperar o chocolate, fazer a casca do Ovo e recheá-lo.



Assadeiras para Brownies, conheça os modelos

Brownies... hmmm, que delícia! Nós gostamos demais e acho que muita gente também, não é mesmo?

Para quem faz para vender (ou mesmo faz em casa, mas gosta de padrão!), existem alguns modelos de formas para brownie que já fazem os pedaços individuais, ou que cortam depois de assado.



Aqui na BarraDoce você encontra algumas opções. Temos um modelo de assadeira que acompanha um cortador, para que você corte todos os pedaços de brownie de uma vez só, super prático e fácil.

Além dele, temos as do tipo em que a assadeira já é dividida em cavidades. Neste tipo, o brownie já é feito em pedaços, idênticos e lindos. Desenformou, está pronto! Para este tipo de assadeira temos duas opções: em aço inox antiaderente ou em silicone, em duas opções.

A de metal faz generosos pedaços de brownie, para satisfazer os mais apaixonados (tá bom, talvez uns dois ou três pedaços...). Já as de silicone fazem pedaços menores, perfeitos para acompanhar um café ou para lembrancinhas ou doces de festas.


Como sempre lembramos, você pode comprar em nossa loja física ou em nossa loja virtual, entregamos em todo o Brasil.

Receita: Biscoito para Decorar com Glacê

Biscoitos decorados são sempre um sucesso, e na Páscoa são uma ótima opção para presentear. Se você quer fazer, mas ainda não tem uma receita boa para o biscoito, anote esta!

Ingredientes:
  • 200g de manteiga em temperatura ambiente
  • 160g de açúcar refinado
  • 1 ovo
  • 5ml de essência de baunilha
  • 440g de farinha de trigo
  • 6g de fermento em pó
  • 2,5g de sal

Modo de preparo:

Bater a manteiga e o açúcar, na batedeira, até ficar cremoso. Acrescentar o ovo e essência e bater até que fique homogêneo. Adicione a farinha peneirada, fermento e o sal e misture com as mãos.

Embrulhe do papel filme e deixe descansar na geladeira por 1h. Depois disto é só abrir a massa com aproximadamente 0,5cm de espessura e cortar os biscoitos. Uma dica para facilitar na hora de abrir a massa é coloca-la entre dois pedaços de filme plástico.

Asse em forno pré aquecido (180ºC) até que fiquem dourados. Deixe esfriar completamente antes de decorar.

Temos alguns produtos para ajudar na hora de fazer esta receita, confira:

Balança culinária
Conjunto de medidores
Rolo de abrir massa
Assadeira
Cortadores de Biscoito
Cortadores com Gabarito para Decoração


Novidade: Forma PVC com Silicone Esfera com Furo - BWB

Existe um docinho super famoso, que você provavelmente já viu: uma casquinha de chocolate recheada, em forma de esfera.

Parece difícil de fazer, né? Mas temos uma ótima notícia! A BWB lançou uma forma que facilita muito o seu trabalho. É a Forma PVC com Silicone Esfera com Furo - BWB. 





Este modelo é daqueles que tem uma película de silicone entre duas formas de PVC. Isto permite que você faça a casquinha de forma rápida e fácil, sempre com a mesma espessura e acabamento perfeito.



Depois do chocolate pronto você pode rechear com o que preferir: ganache, nutella, cremes, pastas... enfim, o que mais de agradar. Além disto, é uma ótima opção de doce para ser usado com a ampola saborizante.


Transfers e Blisters: faça chocolates decorados nesta Páscoa

Transfers e blisters para chocolate são uma ótima forma de decorar chocolates: de forma muito simples você estampa desenhos lindos e coloridos em tabletes, bombons, pirulitos e até mesmo Ovos de Páscoa.

Você já conhece estes produtos? Não? Então vamos lá!

Começando pelos transfers para chocolates, que são folhas de acetato super maleáveis com desenhos à base de manteiga de cacau impressos na superfície. Você pode utilizar alguns métodos para transferir o desenho para o chocolate:

1. Espalhar o chocolate derretido sobre a folha de transfer e deixa-lo secar.

Com esta técnica você pode criar inúmeros resultados. Uma opção é simplesmente espalhar o chocolate para fazer placas, que podem ser quebradas depois de pronta, formando lascas de chocolates decorados. Outra é com o chocolate já levemente endurecido, "corta-lo" para que quanto fique pronto saia em tiras, triângulos, círculos ou qualquer outra forma que tenha cortado.

Ainda, como a folha de transfer é super maleável, você pode enrolar ou curvar para que o chocolate fique com formatos incríveis. Juntando esta técnica com a de desenhar tiras, você pode fazer até mesmo laços de chocolate, fica sensacional.











2. Banhar doces e chocolates, como pães de mel ou trufas, e deixa-los secar sobre a folha de transfer. Quando prontos basta retirar o doce e o desenho estará aplicado à superfície.







3. Recortar o transfer e coloca-lo no fundo da forma que usará para fazer o bombom. Depois é só fazer o chocolate normalmente. Quando desenformar, o desenho já estará aplicado. Para usar este técnica é ideal que a forma tenha o fundo plano, para que o desenho seja aplicado de forma uniforme.

Os modelos de formas mais usados neste tipo de aplicação são os de caixinha quadradas. Nós temos algumas opções, como a Forma em Polipropileno - Bombom Quadrado 3,0 x 3,0cm (21g), a Forma Policarbonato - Bombom Quadrado (3,2cm) e a Forma Policarbonato - Bombom Quadrado Reto (2,9cm). Outro modelo muito bom para esta técnica é a Forma Policarbonato - Pastilha.

Ah, e se você gostou dos transfers para chocolate, temos também muitos outros desenhos com temas variados. Não deixe de conferir os modelos de transfers para casamento, flores, infantis e muitos outros que temos em nossa loja virtual e física.

Já os blisters para chocolates são formas de PVC com o desenho já impresso em sua superfície. Você usa como uma forma comum, e quando desenformar o chocolate já sairá decorado com o desenho. É muito fácil e o resultado fica maravilhoso.







Temos modelos de blisters para desde ovinhos de chocolate tipo  bombons até ovos de 500g, além de opções para pirulitos e quebra-cabeças. É tão fácil de usar que até quem nunca fez chocolate consegue resultados incríveis. E se você já é um profissional experiente, vai poder se beneficiar da praticidade para aumentar a sua produção sem deixar de entregar Ovos de Páscoa lindos.

Os blisters funcionam somente uma vez, ou seja, depois do primeiro uso o desenho não é mais aplicado ao chocolate. Se desejar pode continuar utilizando como uma forma de PVC comum.

Pulverizador Mecânico (Aerógrafo) - Hobbycor

Você já viu bolos e doces decorados com aerógrafos ou pulverizadores? Eles proporcionam lindos acabamentos e decorações com cores, tendo um efeito único e perfeito para diversos tipos de decorações. Veja uma amostra de como fica o resultado:



O Pulverizador Mecânico (Aerógrafo) - Hobbycor funciona como um aerógrafo mecânico, ou seja, você bombeia o spray de corante sobre o alimento ou doce que deseja colorir. É muito fácil de usar e proporciona lindos efeitos, além de ser super barato se comparado à um aerógrafo.








Você pode usa-lo para decorar bolos em pasta americana, chantilly, glacês, chocolates e muito mais.

Uma técnica de decoração de bombons muito legal, e que está super na moda, é colorir o molde de bombons e trufas antes de colocar o chocolate, para que o bombom saia decorado, com cores e desenhos incríveis.

Use com corantes líquidos ou em (diluídos), são diversas cores para você escolher.

Como sempre lembramos, você pode comprar em nossa loja física ou em nossa loja virtual, entregamos em todo o Brasil.